Rio se inspira em Barcelona e investe R$ 8 bi para recuperar zona portuária para Olimpíadas

Imagem de projeto para revitalizar a zona portuária do Rio de Janeiro

De olho nas Olimpíadas de 2016 e no seu legado, o Rio de Janeiro se inspira em Barcelona para a recuperação de sua zona portuária. A operação urbana chamada de Porto Maravilha começou em 2010 e é maior PPP (Parceira-Público-Privada) do país, envolvendo recursos da ordem de R$ 8 bilhões. A promessa é de recuperação de uma área urbana de 5 milhões de metros quadrados em pleno centro do Rio de Janeiro.

Em seis anos, contando a partir de 2010, a meta é construir 4 km de túneis, abrir uma via expressa de alta velocidade às margens da Baía de Guanabara, próximo aos armazéns portuários, uma nova avenida chamada Binário, além de demolir, a partir de 2013, 4,5 km do viaduto da Perimetral, o ponto mais polêmico do projeto.

Hoje, a zona portuária tem um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0,775, considerado médio. Os bairros do entorno como Gamboa, Saúde, Morro da Conceição e Morro da Providência carecem de infraestrutura urbana, falta de saneamento, iluminação e segurança. A população da área soma cerca de 30 mil habitantes, e há poucas escolas e hospitais para atender aos moradores. A região sofre ainda com problemas de esgoto e alagamentos no período de chuvas. Com a requalificação urbana, a população será quintuplicada e passará dos atuais 30 mil para 150 mil.

UOL.

Sem Tags

  

Deixe um comentário