Banco do Brasil vai financiar 90% de imóveis de até R$ 400 mil

Prazo máximo para pagamento do financiamento é de até 360 meses e a taxa de juros é de 9% ao ano.

O Banco do Brasil anunciou uma linha de crédito para financiar até 90% de imóveis novos ou usados com valor total de até R$ 400 mil. O prazo máximo para o pagamento do financiamento é de até 360 meses e a taxa de juros é de 9% ao ano.

Para contratar o financiamento, o banco exige que o cliente possua conta ativa do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e tenha feito, ao menos, 36 contribuições — consecutivas ou não — para o fundo.

A linha de financiamento imobiliário com as novas condições, chamada de pró-cotista, foi definida em maio, na última reunião do Conselho Curador do FGTS. A estimativa do banco é disponibilizar cerca R$ 1 bilhão para novas operações.

O pró-cotista é uma linha de financiamento que utiliza os recursos do Programa Especial de Crédito Habitacional ao Cotista do FGTS. O programa prevê que o imóvel novo ou usado seja adquirido com prazo de 30 anos para pagar.

O Banco do Brasil identificou 2,2 milhões de clientes que reúnem condições para se habilitar ao financiamento imobiliário por essa linha.

No caso em que o cliente não possua conta ativa, é necessário que o seu saldo total no FGTS seja igual ou superior a 10% do valor do imóvel ou de compra e venda, o que for maior.

A carteira de crédito imobiliário do Banco do Brasil atingiu, em abril, R$ 42,06 bilhões, crescimento de 45,9% em 12 meses.

Caixa Econômica Federal

Em abril, a Caixa Econômica Federal restringiu o financiamento de imóveis usados. Antes, o banco financiava até 80% do preço de um imóvel usado de até R$ 750 mil, e a pessoa só precisava dar 20% de entrada. Agora a Caixa só financia 50%. Num imóvel de R$ 300 mil, por exemplo, a entrada era de R$ 60 mil. Agora tem de ser R$ 150 mil.

A Caixa também já aumentou duas vezes neste ano os juros para financiamento da casa própria neste ano. O BB também anunciou um aumento dos juros, em maio.

Tudo isso porque os bancos usam o dinheiro da poupança para financiar as operações imobiliárias do Sistema Financeiro de Habitação. Com a atual situação econômica do País, porém, os depósitos em poupança têm caído ao longo deste ano e batido recordes negativos. Desse modo, os bancos têm menos recursos para emprestar nesta modalidade de crédito.

O conselho do FGTS também autorizou que o Comitê de Investimento analise aporte de R$ 10 bilhões para operações do Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS) em projetos financiados pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Rentabilidade do FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) registrou, em 2014, rentabilidade de R$ 12,9 bilhões, representando crescimento de 39,8% em relação a 2013, quando o fundo lucrou R$ 9,225 bilhões. Para este ano, o orçamento do FGTS será R$ 74,76 bilhões. No ano passado, foram contratados R$ 56 bilhões, dos quais 43,1 bilhões para habitação, R$ 6,7 bilhões para saneamento básico e R$ 6,2 bilhões para infraestrutura.

Da agência Brasil, da redação
A Tribuna – 23.07.2015

Deixe um comentário